Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

O Botafogo sabe agir no mercado da bola?

Mercado da bola - Botafogo

Estamos oficialmente no período de transferências do futebol brasileiro e, como disse na minha coluna anterior, é um momento de se filtrar muito as notícias que surgem. Infelizmente esse período é marcado pelas informações desencontradas ou até mesmo a desinformação. Mas hoje vou usar esse espaço para tratar exatamente daquilo que é verdade e tentar avaliar um pouco da movimentação do mercado brasileiro de transferências, precisamente do Botafogo.

Inclusive quero iniciar dizendo que o tema de hoje surgiu durante uma visita ao Twitter. Observei um perfil criado por um torcedor do Botafogo (@oficialbnc) que citava negociações recentes do clube. De acordo com a avaliação dele, essas negociações foram todas prejudiciais ao alvinegro. A postagem inclusive terminava com uma crítica direta ao grupo político “Mais Botafogo”, que hoje comanda o clube na figura do presidente Nelson Mufarrej.

Bem… a situação financeira do Botafogo não é nada boa e isso não é novidade. O clube já sofre com o problema há alguns anos e o torcedor sabe a realidade vivida. Tanto que nas últimas semanas intensificou um pedido para que os irmãos Moreira Salles (famosos botafoguenses e que possuem uma excelente condição financeira) possam investir financeiramente no futebol do Glorioso para melhorar a situação. Lembrando que a possibilidade é real e inclusive a empresa de auditoria Ernst & Young foi contratada para analisar o fluxo de caixa do clube.

Levando em consideração essa premissa da dificuldade financeira do Botafogo, podemos avaliar que buscar reforços no mercado não deve ser nada fácil para a diretoria e a tal da criatividade se faz cada vez mais necessária. No entanto, é preciso sempre lembrar que dinheiro não traz felicidade, ou seja, ter boa condição financeira para competir no mercado de transferências não é garantia de bons reforços e, por consequência, títulos.

Em alguns momentos num passado recente, o Botafogo conseguiu se virar bem mesmo sem dinheiro. Reforços até então pouco badalados (Diogo Barbosa, Victor Luis, Gatito Fernández, Joel Carli, João Paulo) acabaram dando um excelente retorno ao clube. No entanto, outros que chegaram com grande expectativa (Montillo, Salgueiro, Camilo, Aguirre) acabaram não rendendo. Isso mostra que a receita no futebol não é simples.

Acompanhar a movimentação de mercado nos faz ter a certeza da posição que hoje o Botafogo ocupa. Em muitas oportunidades o clube vendeu boas revelações para o mercado nacional, como aconteceu recentemente com Matheus Fernandes. Vender para o futebol europeu também não é garantia de negociação positiva, mas pelo menos é um caminho natural que muitos de nossos jogadores tomam. Ao meu ver, negociar atletas importantes com times brasileiros tem dois aspectos negativos: reforçar um rival e não ser considerado um time de peso nos grandes centros.

O grande interesse no mercado de transferências é saber quem seu time vai contratar, mas saber quem vai ser vendido e para qual destino, também é muito importante. A impressão que me passa é que hoje o Botafogo não tem peso no mercado da bola e, além da dificuldade financeira, ainda fica atrás de outros clubes em diversos aspectos. O jogador quer se realizar profissionalmente e principalmente também deseja uma realização financeira. O primero item o Botafogo até possui, já que é um dos grandes do nosso país e disputa as grandes competições, mas o segundo item deixa muito a desejar.

No final da temporada de 2018 o clube sofreu com o atraso nos salários, situação que sempre é bastante negativa quando se vai negociar com um atleta. Além disso, faz tempo que o clube não vende um jogador com um grande clube da Europa, o que seria um outro excelente caminho para o jogador se realizar financeiramente. A impressão que me passa é que os jogadores tem sim orgulho de atuarem no Botafogo, mas poucos vislumbram uma situação estável. O clube virou uma espécie de vitrine para que outros grandes do Brasil observem jogadores.

Para concluir, o Botafogo precisa sim contratar melhor, mas precisa também vender melhor. A situação financeira tem sido um grande empecílio e atrapalha os dirigentes nas negociações. Claro que cabem críticas à diretoria alvinegra, existe a necessidade de se encontrar caminhos para que o clube evolua. O que preocupa é a dificuldade em encontrar essa luz no fim do túnel. O Botafogo precisa se reinventar, e logo, para que a situação retratada aqui não seja irreversível.

Deixe seu comentário: